Responsabilidade com o fornecedor

Fornecedor

Direitos Humanos

Com um intenso diálogo com seus fornecedores, especialmente com relação a temas relacionados ao respeito aos direitos humanos e às legislações trabalhistas nacionais e locais, a JBS é signatária, desde 2007, do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil e, desde 2014, membro do Instituto Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo (InPACTO).

O pacto surge em 2005 como iniciativa do setor produtivo junto com a sociedade civil em busca de dar respostas ao desafio de violações dos direitos humanos nas cadeias produtivas, que desenvolveu, em parceria com a JBS, um índice de vulnerabilidade à ocorrência de trabalho escravo para ajudar as empresas com uma informação eficiente no desafio de prevenção e erradicação do trabalho escravo em cadeias produtivas.

Gestão e governança

Por meio do Código de Conduta de Parceiros de Negócios (CCPN) Global, a companhia busca assegurar, por parte de seus parceiros, o cumprimento das leis (incluindo direitos humanos, legislação de proteção ao meio ambiente, leis de defesa à concorrência, proteção contra práticas anticorrupção e anticoncorrenciais, direitos humanos, entre outras). 

Comitê de Responsabilidade Socioambiental

O Comitê de Responsabilidade Socioambiental tem o objetivo de assessorar o Conselho de Administração no cumprimento de suas atribuições legais com relação à sustentabilidade dos negócios da companhia, debatendo e recomendando a adoção de políticas e medidas relacionadas à sustentabilidade e responsabilidade socioambiental, incluindo o tema “Direitos Humanos do Fornecedor”.

Para mais informações, acesse o Regimento Interno do Comitê de Responsabilidade Socioambiental da JBS.