Responsabilidade com o Planeta

Planeta

Compra responsável de bovinos

A JBS tem consciência do seu papel de referência na cadeia de valor, que começa pela compra de matéria-prima, com as diretrizes de sua Política de Compra Responsável de Matéria-Prima, influenciando a cadeia de forma transversal desde a adoção de boas práticas pelos fornecedores de matéria-prima até a qualidade final dos produtos. Por isso, a JBS estabelece uma relação de parceria, incentivando e desenvolvendo ações orientadas ao aperfeiçoamento da gestão e das práticas de seus fornecedores, atuando em duas frentes: garantia de origem e relacionamento com fornecedores.

Garantia de Origem

Compra de Gado – Monitoramento socioambiental

Por meio de um dos maiores sistemas de geomonitoramento de fornecedores do mundo, que monitora por imagens de satélites uma área superior a 3,5 vezes a área do Reino Unido, mais de 85 milhões de hectares, a Companhia só compra de propriedades que atendam os critérios socioambientais definidos em sua Política de Compra Responsável de Matéria-Prima, entre eles:

  • Não possuir áreas embargadas pelo Ibama, com sobreposição em Unidades de Conservação ou Terras Indígenas;
  • Não constar na “lista suja” de trabalho escravo do Ministério do Trabalho e Previdência;
  • Tolerância zero ao desmatamento ilegal, com estrito cumprimento do Código Florestal brasileiro.

Diariamente, cerca de 80 mil fazendas fornecedoras de gado cadastradas são analisadas por meio de imagens de satélite. Assim, é possível bloquear a compra de matéria-prima de fornecedores em situações de irregularidades, bem como garantir a origem sustentável de seus produtos.

A JBS realiza anualmente auditoria independente sobre sua Política de Compra Responsável e publica em seu site os resultados desse processo. Para isso são verificadas se as propriedades de seus fornecedores de gado obedecem aos critérios socioambientais determinados por sua Política de Compra Responsável de Matéria-Prima. 

As auditorias revelaram que, nos últimos anos, mais de 99,9% das compras de gado da JBS de fazendas localizadas na região amazônica cumpriram com os critérios socioambientais. 

Em 2020, a empresa Grant Thornton, referência internacional em auditoria, consultoria e certificações socioambientais, confirmou 100% de conformidade socioambiental nas aquisições verificadas de gado de fornecedores diretos realizadas pela companhia em 2019 no Bioma Amazônia. O mesmo resultado foi obtido na auditoria do ano anterior.

Resultado das Auditorias Independentes

AnoConformidade*Amostra (10%)
201399,75%12.135
201499,97%12.221
201599,97%11.166
201699,97%9.198
201799,99%9.968
2018100%7.140
2019100%7.296
* % das operações de compra de gado em conformidade com a Política de Compras Responsáveis de Matéria-Prima da JBS

Adicionalmente e em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), a companhia realizou importantes contribuições na construção de uma estratégia setorial para a compra responsável de gado na Amazônia. O Boi na Linha estabeleceu critérios de aquisição de matéria-prima para as empresas que operam naquela região, com o desenvolvimento de um protocolo setorial que estabelece os critérios e as regras técnicas de análises de fornecedores. A companhia também tem contribuído para o desenvolvimento de um protocolo de auditoria para a checagem do atendimento dos compromissos.

Compromisso com a preservação

Entre as metas da companhia está o alcance de uma cadeia de fornecedores de gado – incluindo os fornecedores de fornecedores na Amazônia, assim como no Cerrado, no Pantanal, na Mata Atlântica e na Caatinga – totalmente livre de desmatamento ilegal até 2025. A empresa tem, ainda, o compromisso de avançar com a rastreabilidade para garantir cadeias de fornecimento livres de desmatamento em nosso negócio global. Para alcançar todas as metas, promover a colaboração entre os diversos setores da cadeia de valor e stakeholders. Saiba mais aqui.

Plataforma Pecuária Transparente

Viabilizar o monitoramento de todos os elos da cadeia produtiva, como fazemos com nossos fornecedores, é um desafio não apenas para a JBS, mas para todo o setor.

Para endereçar essa questão, a JBS lançou a Plataforma Pecuária Transparente, que usa tecnologia blockchain para permitir à Companhia estender o alcance de seu monitoramento aos fornecedores de seus fornecedores. A iniciativa tem por objetivo alcançar, até 2025, uma solução definitiva que será compartilhada com todo o setor.

Como parte desse movimento, foram disponibilizados, por meio de Escritórios Verdes nas unidades da JBS na Amazônia, assessoramento gratuito para auxiliar os produtores de bovinos de corte na promoção de regularização ambiental de suas propriedades. Afinal, a implementação de políticas de sustentabilidade em cadeias de produção complexas como a da carne bovina no Brasil é um grande desafio, que só pode ser plenamente vencido a partir do trabalho conjunto e comprometido de todos os interessados.

O produtor de bovinos que negocia animais diretamente com a JBS vai informar a lista de seus fornecedores de animais na plataforma, desenvolvida pela empresa especializada Ecotrace. Como a plataforma é pública, outras empresas do setor também podem fazer uso do sistema.

Empresas de geomonitoramento que estiverem credenciadas na plataforma processarão a análise de conformidade socioambiental com base nos mesmos critérios utilizados atualmente pela JBS, em acordo firmado com o Ministério Público Federal (MPF), para verificar a existência de:

  • Desmatamento, respeitando o Código Florestal Brasileiro;
  • Sobreposição em terras indígenas ou unidades de conservação ambiental;
  • Trabalho análogo à escravidão, conforme lista do Ministério  do Trabalho e Previdência;
  • Áreas embargadas pelo Ibama.

O resultado dessas análises será enviado diretamente ao fornecedor da JBS, que, pela primeira vez, terá visibilidade da conformidade socioambiental de toda sua cadeia de fornecimento. Com isso, contendo com o suporte dos Escritórios Verdes, poderá desenvolver planos para mitigar riscos e implementar ações para ajudar os produtores a regularizar as situações quando necessário.

Como parte fundamental do projeto, está sendo realizada uma estratégia de engajamento com a cadeia para acelerar a construção do cadastro positivo de produtores em conformidade com as normas socioambientais. Todos os fornecedores de gado da companhia deverão aderir ao programa até o fim de 2025.

Acesse a plataforma aqui.

Escritórios Verdes

Com o objetivo de auxiliar os pecuaristas da região do bioma Amazônia,  a atender às suas exigências socioambientais até o final de 2025, a JBS inaugurou 13 Escritórios Verdes em unidades de processamento de diferentes regiões-chave para as atividades pecuárias em Marabá e Redenção (PA), Porto Velho e São Miguel do Guaporé (RO) e mais seis em Mato Grosso – Alta Floresta, Barra do Garças, Confresa, Diamantino, Juara e Pontes e Lacerda. A iniciativa também chegou a Goiânia e Mozarlândia (GO) e Campo Grande (MS). O serviço, extensão da Plataforma Pecuária Transparente, oferece suporte gratuito para pecuaristas que possuem passivos ambientais, visando a regularização ambiental de suas propriedades.

Saiba mais aqui

Grupos de Trabalho, Entidades e Associações

A JBS é membro da Tropical Forest Alliance (TFA), iniciativa ligada ao Fórum Econômico Mundial e compõe, ainda, o Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS), a Coalizão Brasil Floresta e Agricultura, e o Global Roundtable for Sustainable Beef (GRSB), iniciativas que estimulam ações pelo fim do desmatamento no Brasil e no mundo, e contribuem para melhorar a sustentabilidade ao longo da cadeia de valor.

Processo de Governança 

O Comitê de Responsabilidade Socioambiental, ligado ao Conselho de Administração, acompanha periodicamente os resultados do Sistema de Monitoramento Socioambiental de fornecedores de gado no Brasil. 

Para mais informações a respeito das atividades do Comitê, clique aqui.

Compra de Aves e Suínos

Nas cadeias de aves e suínos, as unidades da JBS trabalham de forma integrada com os produtores, em parceria que garante a procedência da matéria-prima. São realizadas visitas técnicas regularmente, com orientações sobre manejo de produção, práticas ambientais e de bem-estar animal.

A Seara emprega sistemas de rastreabilidade aos seus mais de 9 mil integrados para identificar rapidamente e, se necessário, isolar granjas com eventuais problemas em relação à qualidade ou à segurança. A tecnologia também monitora o tratamento das aves em todas as etapas de suas vidas e do processo de produção.

Compra de Madeira

A JBS aplica auditorias internas e/ou externas na cadeia de abastecimento de madeira. A compra de biomassa se divide em dois tipos: aquisição de fornecedores corporativos e compras locais.

Os fornecedores corporativos recebem visitas uma vez ao ano, sem aviso prévio. Já os fornecedores locais são visitados sob demanda, antes da contratação ou durante o fornecimento, quando identificados possíveis desvios.

Ainda no nível regional, a empresa exige certidões de “nada consta”, emitidas pelo IBAMA/órgão ambiental estadual competente e pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). 

Essas ações resultam no destaque obtido pela JBS na avaliação do CDP Florestas – em 2019, a companhia obteve o melhor desempenho entre as empresas da América do Sul.

Avaliação e Conformidade

Os fornecedores de madeira são avaliados da seguinte maneira:

  • Cadastro;
  • Documentação comprobatória (“nada consta”);
  • Processos trabalhistas (trabalho escravo);
  • Processos ambientais e documentação de origem florestal, quando aplicáveis conforme legislação vigente.

Os requisitos atendidos variam de acordo com a característica do material fornecido, bem como com a legislação federal/estadual aplicada.

Estando o fornecedor com a documentação e as atividades em dia para estabelecer uma relação comercial com a JBS, alguns documentos poderão ser assinados, como: “Acordo Comercial” e/ou “Contrato Jurídico” de fornecimento, que preveem igualmente sansões, caso identificada qualquer desconformidade no ambiente social e/ou ambiental ao longo do período acordado.

No momento da aquisição da biomassa, quando em regiões ambientalmente sensíveis, é orientada a compra junto à área de supervisão ambiental da unidade, que oferece suporte com relação à documentação (verificação e validação) e visita “in loco”. Não há percentual calculado, porém é estimado que para as regiões norte e centro oeste, isso ocorra na validação de compras em 80% dos novos contratos críticos.

Há ainda visitas técnicas ao longo de todo o ano, mensalmente, verificando a origem da biomassa, sendo as compras SPOT de responsabilidade de cada unidade.

Relacionamento com Fornecedores

A JBS entende que sua relação com os fornecedores é essencial e relevante para a prosperidade da cadeia de valor, e por isso desenvolveu uma série de ações para estreitar o relacionamento com seus stakeholders que é baseado na confiança, respeito, ética e transparência.

Além de seguir os regulamentos locais e federais, a companhia realiza seus negócios em sintonia com as práticas mais sustentáveis do setor. 

Com um diálogo regular com seus fornecedores, especialmente em relação a assuntos relacionados à direitos humanos e leis trabalhistas nacionais e locais, a JBS é signatária do Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil, desde 2007, e membro do Instituto do Pacto Nacional pela Erradicação Trabalho Escravo (InPACTO) desde 2014.

Saiba mais sobre o tema em Responsabilidade com o Fornecedor.